loog
UFJ

Uilton Pereira da Silva Júnior

AUTOR: Uilton Pereira da Silva Júnior
TÍTULO: PARTIÇÕES PLUVIOMÉTRICAS NOS CULTIVOS DE SOJA, MILHO E BRAQUIÁRIA NO MUNICÍPIO DE JATAÍ (GO)
ORIENTADOR: Prof. Dr. Hildeu Ferreira da Assunção. Co-Orientador: Prof. Dr. Iraci Scopel.
ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Análise Ambiental do Cerrado Brasileiro.
LINHA DE PESQUISA: 
DATA DE APROVAÇÃO: 03/2013

 

Resumo:

Este trabalho avalia as partições pluviométricas em três cultivos: soja (Glycine max (L) Merrill) cultivada no sistema de plantio direto, milho (Zea Mays) cultivado no sistema de plantio convencional e pastagem de braquiária (Brachiaria decumbens Stapf cv Comum) cultivada no sistema de plantio direto. O período de estudo foi de outubro de 2011 a junho de 2012. A pesquisa foi conduzida no campo experimental da Universidade Federal de Goiás (UFG), campus Jatobá, no município de Jataí (GO). Foram instalados instrumentos pluviométricos acima de cada cultura, sobre a superfície do solo ou entre linhas de cada cultura, a 5 cm de profundidade do solo e a 30 cm de profundidade. Utilizou-se aparelhos pluviométricos manuais e digitais, com 3 repetições. Objetivou-se estimar as partições pluviométricas por meio dos dados fornecidos pelos pluviômetros instalados, com base em cálculos propostos por Kojac, et al. (2007). Estimou-se a precipitação interceptada pelo dossel (Pf), a precipitação direta (Pd), o escoamento pelo dossel (Ef), a chuva retida pelo dossel (Rf), a água retida na profundidade de até 5 cm do solo (Rs5), a água retida na profundidade de até 30 cm do solo (Rs30), o escoamento superficial (RO) e a precipitação profunda (Pp). Os valores foram estimados em relação à precipitação total (Pt). Concluiu-se que os valores de interceptação e retenção pelo dossel da soja, milho e braquiária foram menores na fase vegetativa, aumentando conforme o desenvolvimento da área foliar dos cultivos. No cultivo do milho, 47% da precipitação foram interceptadas pelo dossel em relação à chuva total. Na soja, 81,8% da chuva foi interceptada pelo dossel antes de atingir o solo, e na braquiária 54,2%. O valor estimado da precipitação retida pelo dossel do milho foi de 28,6%, pelo dossel da soja de 22,7% e pelo dossel da braquiária de 24,7%. Verificou-se que, para os três cultivos, apenas valores de chuvas superiores a 3 mm permitiram registros de escoamento pelo dossel. O milho apresentou 0,7% de precipitação profunda em relação às chuvas totais e 14% de escoamento superficial. Os percentuais de precipitação profunda e escoamento superficial para a soja foram de 7,2% e 3,7% respectivamente. Para a braquiária, foram registrados 24% de precipitação profunda e 2,4% de escoamento superficial. Nos testes de médias realizados nas fases vegetativas da braquiária e do milho, observaram-se diferenças significativas na precipitação retida na profundidade de 30 cm do solo, na precipitação profunda e no escoamento superficial. A braquiária, cultivada no sistema de plantio direto, apresentou maior infiltração de água no solo e menor escoamento superficial em relação ao milho sob plantio convencional. Confirmando, assim, a importância da cobertura vegetal e da manutenção da camada de resíduos orgânicos no solo, para diminuição do escoamento superficial e aumento  nas taxas de infiltração de água. Tanto a espécie vegetal quanto o sistema de manejo do solo foram importantes para determinar os valores das partições pluviométricas.

 

Pdf ícone

TEXTO COMPLETO