Infraestrutura

Com relação à infraestrutura para ensino, pesquisa e extensão, atualmente o Programa de Pós-Graduação em Geografia apresenta parcerias de ensino, pesquisa e extensão com 11 laboratórios da Regional Jataí e 01 da Regional Goiânia, além de utilizar esporadicamente a estrutura de outros laboratórios de pesquisa da UFG e de instituições parcerias como a USP, UFSM, UDESC, UEG, UFRJ, UFMS, UFMT e UFU.

 

Em junho de 2019 foi entregue o prédio de laboratórios de pesquisa multiusuário, construído a partir de recursos FINEP e que abriga 05 laboratórios ligados ao PPGGeo: Laboratório de Pedologia e Erosão de Solos; Laboratório de Geociências Aplicadas; Laboratório de Geoinformação; Laboratório de Climatologia e Recursos Hídricos (incluindo a gestão da estação meteorológica do INMET instalada no Campus) e Laboratório e Núcleo de Estudos em Agroecologia e Agricultura Familiar.

 

Laboratório de Geoinformação

Criado no ano de 2007 pelo Prof. Dr. Washington Mendonça Moragas (in memorian) e atualmente coordenado pelo Prof. Dr. Pedro França Júnior, contando com os professores Dr. Alécio Perini Martins, Dra. Raquel Maria de Oliveira e Dr. Ivanilton José de Oliveira na equipe, além da Geógrafa Dra. Cristina Silva de Oliveira (técnica federal). Atualmente, é frequentado por 02 estudantes de mestrado, 06 de doutorado e 09 de graduação (estágio, iniciação científica e tecnológica e Empresa Júnior), além de oferecer cursos de treinamento e capacitação para a comunidade acadêmica. Nele são desenvolvidos projetos nas áreas de Análise e Gestão Ambiental, Geomorfologia e Climatologia Geográfica, empregando geotecnologias como Sensoriamento Remoto, Geoprocessamento e aerolevantamentos com uso de drones. Até o final de 2020 contava com 05 projetos em execução, sendo um financiado pelo CNPq, e parceria com projetos dos demais professores do PPGGeo, especificamente em atividades que utilizam Geotecnologias. Em 2019, passou a abrigar a Empresa Júnior do curso de Geografia e seus membros associados, abrindo possibilidades de pesquisa em parceria com o setor privado. Conta com 12 computadores de médio/alto desempenho, 01 plotter, 01 aparelho GNSS Geodésico Trimble R4 com RTK, 01 GNSS Topográfico, dois drones Phantom DJI, 08 GNSS de navegação e um pacote com 50 licenças do Software ArcGIS 10.6.1, compartilhadas com os demais laboratórios da unidade (encerradas em novembro de 2020 e ainda não renovada por falta de recursos). O laboratório também atende a comunidade externa por meio da oferta de cursos de capacitação/treinamento em geoprocessamento, cursos de formação continuada na área de cartografia para professores da rede básica de ensino e oferece suporte a órgãos públicos na área de geotecnologias e produção de cartografias de base e de síntese.

 

Laboratório de Geociências Aplicadas

Criado em 2010 em substituição ao laboratório de Geologia Ambiental (criado em 1994). Atua como suporte a várias linhas de pesquisa dos cursos de Graduação em Geografia, Biologia, Química, Agronomia e Pós-Graduação em Geografia com o objetivo de agregar professores/pesquisadores que desenvolvam atividades nas áreas de diagnóstico ambiental e geociências aplicadas. Na área da pesquisa são desenvolvidos trabalhos com apoio de diversas instituições de fomento, como CNPq, CAPES e FAPEG. As pesquisas desenvolvidas concentram-se em duas vertentes. A primeira está associada ao estudo de medidas mitigadoras em relação aos processos hidrogeomorfológicos e análise da qualidade da água em áreas de influência direta e indireta de lagos de usinas hidrelétricas ou de abastecimento de água. A segunda está associada à aplicação de técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto em análise ambiental, sendo os resultados das pesquisas apresentados nos encontros científicos e periódicos especializados. Atualmente, a equipe conta com 02 pesquisadores, 1 pós-doutorando, 06 discentes de doutorado, 02 de mestrado e 02 de iniciação científica vinculados a projetos de pesquisas financiado pela Capes (Edital-PROCAD) e CNPq (Edital-Universal). Equipamentos do Laboratório: 2 barcos, 3 motores de popa, 4 sondas multiparâmetros, 2 gamaespectômetro, 1 espectrorradiômetro, 2 mini-trase, 1 Fluorimetro portatil de metais pesados, 2 turbidímetros, 1 disco de secchi, 1 Fotômetro de bancada para qualidade de água, Fotômetro de bancada UV, ADCP, 3 estufas de esterilização e secagem, 2 incubadoras, computadores e equipamentos de escritório. O laboratório mantém parceria com os laboratórios de Geotecnologias da UFSM na realização do estudo de ambiente aquáticos e Laboratório de Avaliação de Impacto Ambiental da UDESC na realização do estudo de metais pesados. O laboratório também atende a comunidade externa por meio de oferta de cursos de capacitação para professores da rede básica na área de ensino de Geociências, produção de material didático para aulas sobre minerais e rochas, e assistência a órgãos públicos na área de qualidade da água e conservação do geopatrimônio.

 

  • Laboratório de Climatologia Geográfica e Estação Meteorológica de Jataí

Idealizado em 2005 pela Profa. Dra. Zilda de Fátima Mariano (in memorian), uma das fundadoras do PPGGeo, o laboratório encontra-se sob a coordenação da Profa. Dra. Regina Maria Lopes. Tem por objetivo apoiar a formação de profissionais de Geografia e áreas afins por intermédio de pesquisas científicas e projeto de extensão voltada à coleta, organização e análise dos dados climáticos. São objetivos específicos do Laboratório de Climatologia: I) contribuir para as atividades didáticas do Curso de graduação e pós-graduação em geografia, em especial para a realização de aulas práticas e monitorias, assim como para o desenvolvimento de atividades relacionadas à pesquisa, ensino e extensão do Curso de Geografia. II) Apoiar o desenvolvimento de materiais didáticos e o desenvolvimento de metodologias que favoreçam a aprendizagem relacionada com a climatologia geográfica. Atualmente, a equipe conta com 02 discentes de doutorado, 01 de mestrado e 02 de iniciação científica vinculados ao projeto PROCAD – USP/UFSM/UFG-Jataí, além de diversos alunos de graduação que desenvolvem pesquisas e utilizam o espaço para aulas práticas. Dispõe de 02 Estações Meteorológicas automáticas, 70 dataloggers e 73 pluviógrafos que encontram-se instalados em diversos experimentos em campo, além de equipamentos de informática e equipamentos portáteis como termohigrômetros e termômetros. A Estação Meteorológica Convencional de Jataí é um convênio com o Instituto Nacional de Meteorologia, junto ao 10º Distrito Meteorológico de Goiás- INMET/DISME. Foi fundada em 24/11/1978, a partir de 1995 passa a fazer parte da Rede Nacional de previsão do tempo no status de Estação Sinótica, com todos os aparelhos de medição e em três horários: 9h, 15h e 21 horas interruptos. Em 24/05/2007, inaugura a Estação automática, junto à estação Convencional, para aprimorar e melhorar a coleta de dados da região, em intervalos de 1 hora.  Os dados coletados são utilizados em aulas didáticas nos cursos de agronomia, zootecnia e Geografia, para pesquisas dos professores e alunos dos cursos de graduação e pós-graduação (agronomia e geografia). É um dos laboratórios com maior inserção social do programa, estando constantemente nos canais de comunicação com boletins sobre o tempo atmosférico e em entrevistas sobre temas ligados ao clima. Oferece cursos de capacitação para professores da rede básica e possui projeto de extensão para recepção de estudantes na estação meteorológica e construção de material didático para estudo do tempo e do clima.

 

  • Laboratório de Pedologia e Erosão dos Solos

Criado em 1994 junto com o curso de Geografia com o nome de Laboratório de Cartografia, hoje o Laboratório de Pedologia e Erosão de Solos é coordenado pela Profa. Dra. Márcia Cristina da Cunha em parceria com os professores Dra. Simone Marques Faria Lopes e Dr. Pedro França Júnior. Conta com uma equipe de 03 estudantes de pós-graduação (02 mestrandos e 01 doutorando) e 07 alunos de Graduação. Como equipamentos possui diversos trados, pás e equipamentos para coleta de amostras de solo em campo, mesas para desenho, infiltrômetros, permeâmetros, cilindros para análise de água, densidade e partículas no solo, além de computadores e mobiliário de escritório. Tem como objetivo geral fornecer ferramentas de auxílio e suporte a pesquisa em solos para os cursos de Graduação e Pós-Graduação em Geografia da Regional Jataí, assim como buscar parcerias junto a órgãos públicos e empresas privadas mediante convênios de cooperação. Além deste laboratório, a Regional Jataí conta com um completo laboratório de Solos, certificado junto à Embrapa, e sob coordenação do curso de Agronomia, o qual é utilizado esporadicamente para realizar análises físicas e químicas do solo. Entre os projetos em andamento destacam-se: Análise quali/quantitativa e conservação das águas, sedimentos e solos da bacia hidrográfica do Córrego Bom Sucesso – GO (pesquisa); O ensino de solos pela geografia na educação básica a partir da construção de materiais didáticos (ensino); Construção de materiais didáticos e o ensino de solos pela Geografia: da produção acadêmica as ações de extensão na educação básica (extensão). Para cumprir com seus objetivos, o Laboratório de Pedologia e Erosão de Solos realiza eventos (palestras, simpósios, seminários, debates, minicursos e outros) de cunho educativo e/ou transdisciplinar e multidisciplinar, integrados ou não à grade curricular que venham contribuir com a formação dos estudantes da Universidade Federal de Jataí. Colabora também para o desenvolvimento de atividades científicas, laboratoriais de alunos e bolsistas de graduação e pós-graduação da instituição bem como dos estudantes de intercâmbio. Apresenta diversas ações em conjunto com a comunidade externa, incluindo projetos de extensão sobre ensino de solos e conservação de recursos naturais, além de atuar em projetos junto a ONG’s e ao poder público municipal sobre conservação de nascentes, estradas rurais e recuperação de áreas degradadas.

 

  • Laboratório e Núcleo de Estudos em Agroecologia e Agricultura Familiar 

Com origem a partir do Núcleo de Estudos em Agroecologia e Agricultura Familiar, o laboratório é coordenado pelo Prof. Dr. Hildeu Ferreira da Assunção e possui caráter multidisciplinar, envolvendo docentes das áreas de Geografia, Agronomia, Zootecnia, Engenharia Florestal e Educação, além de receber docentes e estudantes de diversos cursos em suas ações de extensão e disciplinas de núcleo livre. Apresenta um Centro Vocacional Tecnológico Integrado de Agroecologia de aproximadamente 5ha, onde são desenvolvidos experimentos e ofertados cursos/oficinas de extensão pautados na Agroecologia para a comunidade da região, sendo o maior centro de inserção social e difusão de conhecimentos vinculado ao PPGGeo. Conta atualmente com 04 estudantes de doutorado do PPGGeo, além de estudantes de pós-graduação em Agronomia, visto que o espaço apresenta gestão compartilhada entre os dois programas. Desde 2008, o NEAF aprovou 9 projetos entre pesquisa e extensão via editais do CNPq, com financiamento de diversos Ministérios, sendo que um está em execução. A partir de 2015 o NEAF passou prestar assessoria de gestão social ao Colegiado do Território Rural de Identidade Parque das Emas, localizado no Sudoeste de Goiás, o qual é composto por 9 municípios. A partir dos frutos desta assessoria, as ações de extensão do NEAF passaram a ser demandas e executadas em parceria direta com a comunidade camponesa e suas entidades representativas, bem como com as instituições do poder público municipal de todo os municípios. Estas parcerias promovem articulações e melhoram os resultados das ações, e por consequência, contribuem efetivamente com o desenvolvimento rural do Território.

 

  • Laboratório de Geografia Urbana e da Saúde

Coordenado pelo Prof. Dr. Márcio Rodrigues Silva em parceria com a Profa. Dra. Maria José Rodrigues, tem como objetivo geral realizar estudos e pesquisas na área de Geografia Urbana e Geografia da Saúde, com destaque para projetos ligados à violência urbana (acidentes de trânsito, homicídios, etc.) e à estruturação da atenção básica de saúde municipal. São objetivos específicos do Laboratório: Efetuar estudos temáticos sobre cidade e o urbano, segundo a ciência geográfica; Efetuar estudos temáticos sobre Geografia da Saúde; Disponibilizar o material produzido para consulta pública através do site do laboratório e outras mídias; Publicar os resultados das pesquisas realizadas em eventos, revistas científicas, livros e outras mídias. Atualmente, conta com 02 estudantes de mestrado e 02 de doutorado, além de 05 estudantes de graduação. Entre os equipamentos constam computadores (desktop e notebook), tablet e equipamentos de informática e mobiliário de escritório em geral.  Atua junto à comunidade acadêmica e externa por meio da oferta de cursos de capacitação em tecnologias para estudos urbanos, além de oferecer informações/suporte em discussões sobre políticas de desenvolvimento urbano e políticas públicas para promoção da saúde.

 

  • Laboratório de Investigações das Dinâmicas Espaciais

O Laboratório de Investigações das Dinâmicas Espaciais surgiu a partir do Laboratório de Estudos Regionais, criado em 2008, na Unidade Riachuelo. Coordenado pelo Prof. Dr. Dimas Moraes Peixinho, em parceria com os professores Dr. William Ferreira da Silva, Dr. Ariovaldo Umbelino de Oliveira e Dr. Evandro César Clemente, o laboratório abrigou, até o ano de 2019, quatro pesquisadores com os seus respectivos orientados de pós (doze) e graduação (seis). Por ocasião da reestruturação de espaços físicos da Unidade Acadêmica Especial de Estudos Geográficos (UAEEGEO) ocorrida no ano de 2019, por meio da qual quatro laboratórios sediados no Campus Riachuelo foram realocados no Campus Jatobá, no Prédio de Laboratórios Multiusuário, ocorre o desmembramento do Laboratório de Investigações das Dinâmicas Espaciais, dando origem ao Laboratório de Estudos Regionais e ao Laboratório de Geografia e Estudos Territoriais, coordenados respectivamente pelos professores Dimas Moraes Peixinho e Evandro César Clemente. O Laboratório de Investigações das Dinâmicas Espaciais mantém projeto de Extensão acerca do mercado de trabalho formal na Microrregião Sudoeste de Goiás com vistas a monitorar seu comportamento e publicar mensalmente um Boletim informativo. O Laboratório, atualmente coordenado pelo professor William Ferreira da Silva, abriga discentes de graduação e pós-graduação que desenvolvem pesquisas com enfoque nas questões espaciais, com especial interesse nas temáticas de produção de energias renováveis por biomassa e Geografia do Trabalho.

 

  • Laboratório de Estudos Regionais

O laboratório é reativado no ano de 2019 em uma nova reorganização do Laboratório de Investigações das Dinâmicas Espaciais a partir da liberação de novos espaços para pesquisa no Campus Riachuelo da UFJ. É coordenado pelo Prof. Dr. Dimas Moraes Peixinho com participação do Prof. Dr. Ariovaldo Umbelino de Oliveira, que mantém vínculos com a instituição mesmo após o término do contrato de professor visitante. Conta atualmente com 09 discentes de pós-graduação, sendo 05 doutorandos e 04 mestrandos, além de discentes de graduação e professores externos ligados ao Instituto Federal de Goiás, Universidade Federal de Goiás, Universidade Estadual de Goiás e membros do grupo REAGRI. Mantém um grupo de estudos que se reúne semanalmente professores e estudantes de pós e graduação para discutirem temas teórico-metodológicos da geografia. O laboratório possui uma programação anual com a participação de pesquisadores, conferencistas e personalidades locais, buscando uma interação como a comunidade local e com os pesquisadores (nacionais e internacionais) que trabalhem com as temáticas do laboratório, especialmente produção de energias renováveis por biomassa (etanol, biodiesel e silvicultura), cadeia carnes-grãos, mobilidades demográficas, logísticas e de mão de obra intra e inter-regional.

 

  • Laboratório de Geografia e Dinâmicas Territoriais (LAGET)

 Coordenado pelo Professor Dr. Evandro César Clemente foi criado em março de 2017, com espaço físico liberado no ano de 2019. Este laboratório está vinculado à Rede de Estudos DATALUTA - Banco de dados sobre a luta pela terra, coordenado em nível nacional pelo Professor Bernardo Mançano Fernandes. O Laboratório abriga 1 pós doutorando (Bolsa FAPEG), 4 discentes em nível de doutoramento, 1 mestrando e 1 Bolsista de Iniciação Científica. O laboratório tem procurado reunir os pesquisadores mensalmente para debates acerca dos temas de interesse, como: luta pela terra, reforma agrária, questão agrária e ensino, ação extensionista, dinâmicas e conflitos territoriais, movimentos socioterritoriais, Estado e políticas públicas, soberania alimentar, sustentabilidade e transição para padrões produtivos menos predatórios do ambiente.

 

  • Laboratório de Ensino de Geografia

Coordenado pela Profa. Dra. Suzana Ribeiro Lima de Oliveira, com participação das professoras Dra. Lana de Souza Cavalcanti e Dra. Rosana Alves Ribas Moragas, o LEGE tem como objetivo geral proporcionar um espaço de discussão, estudo, pesquisa e atividades relacionadas à área de ensino e aprendizagem em Geografia, destina-se ao público interessado na temática tanto da comunidade acadêmica, como os professores da educação básica. Entre os objetivos específicos, destacam-se:  Promover estudos sobre a Educação Geográfica em conjunto com outras áreas do conhecimento possibilitando a estruturação do conhecimento científico na área de Geografia; Possibilitar a reflexão teórica e a pesquisa sobre estratégias metodológicas de ensino e aprendizagem em Geografia; Coordenar grupos de pesquisa voltados para temáticas do ensino-aprendizagem em Geografia; Oferecer cursos de extensão para os professores da rede pública de ensino; Produzir, reunir, organizar e difundir o acervo do LEGE, constituído de estudos, pesquisas, técnicas, estratégias e materiais didáticos de Geografia; Estimular os discentes a participar com trabalhos em eventos locais, regionais, nacionais e internacionais na área do Ensino de Geografia. Com grande inserção social, o LEGE conta atualmente com 03 pesquisadoras, 03 pós-graduandos (02 mestrandos e 01 doutoranda) e 07 alunos de graduação, atuando nas seguintes linhas de pesquisa: Ensino e Aprendizagem em Geografia; Formação docente em Geografia; Construção da(s) identidade(s) docente(s) geográfica(s). O laboratório apresenta uma importante inserção junto à comunidade externa por ser um centro de formação continuada para professores da rede básica de ensino, além de abrigar e orientar os discentes do curso de licenciatura em atividades de estágio supervisionado, promovendo uma maior integração entre universidade, pós-graduação e educação básica.

 

  • Herbário Jataiense e Laboratório de Ecologia Vegetal

Vinculado à Unidade Acadêmica Especial de Ciências Biológicas, o herbário conta com uma equipe de professores dos cursos de Ciências Biológicas e Engenharia Florestal, entre eles o Prof. Dr. Frederico Augusto Guimarães Guilherme, membro permanente do PPGGeo desde sua criação e uma técnica de laboratório, Dra. Érica Virgínia E. J. Amaral. Vários discentes atuam no Herbário, auxiliando na manutenção do acervo, saídas para trabalhos de campo e identificação de plantas. Frederico Guilherme têm experiência em levantamentos florísticos e fitossociológicos, e dinâmica de vegetação em Mata Atlântica e Cerrado, e regiões de ecótono entre esses dois biomas, coordenando o projeto “Inventários e ecologia da biota em formações savânicas e florestais do oeste e sul goiano: novas áreas para conservação e manejo de ecossistemas” desde o ano de 2013 com financiamento da FAPEG pelo Programa de Pesquisa Ecológica de Longa Duração (PELD). Entre os equipamentos constam computadores, material de informática e equipamentos de escritório, estufa de secagem, freezer horizontal, acervo botânico, literatura específica para identificação de plantas, armários para armazenamento de exsicatas, vidraria diversa e materiais para a coleta de campo. Tanto o espaço físico quanto a equipe do Herbário são fundamentais para diversas pesquisas desenvolvidas no programa com foco no Cerrado, sobretudo no Estado de Goiás. O Laboratório de Ecologia Vegetal encontra-se em fase de instalação. Terá estrutura de apoio para estudos acadêmicos e reuniões entre professores e alunos (graduação e pós-graduação). Vem sendo equipado para atender demanda de materiais que chegam de campo, visando triagem e análises do material, além de permitir processamento dos mesmos, e espaço adequado para confecção de relatórios e artigos científicos.

 

  • Laboratório de Estudos e Pesquisas em Dinâmicas Territoriais

Criado em 10 de outubro de 2008, em substituição do laboratório de Geografia Humana. Coordenado pelo Prof. Dr. Eguimar Felício Chaveiro, o Laboratório tem como objetivos:  Proporcionar aos alunos e professores dos cursos de graduação e pós-graduação do Instituto de Estudos Sócio-Ambientais (IESA) e Campus Jataí da Universidade Federal de Goiás (UFG), condições para a realização de atividades de ensino, pesquisa e extensão de forma integrada com a grade curricular da graduação e da pós-graduação em Geografia. Embora esteja ligado ao curso de Geografia da UFG/Goiânia, o laboratório abriga importantes grupos de pesquisa como o “Dona Alzira”, do qual fazem parte discentes de mestrado e doutorado vinculados ao PPGGeo/Jataí, sendo hoje uma das mais sólidas parcerias de pesquisa entre Jataí e Goiânia.

 

Além destes laboratórios, o PPGGeo conta com a estrutura do Laboratório de Planejamento e Educação ambiental, criado no ano de 2019 a partir da reestruturação do espaço físico da Unidade Acadêmica Especial de Estudos Geográficos, que dispõe de amplo espaço para a realização de aulas práticas e grupos de estudos. Em Goiânia, a Profa. Raquel Maria de Oliveira, docente permanente do PPGGeo e vinculada ao Setor de Medicina Preventiva da Escola de Veterinária e Zootecnia, disponibiliza ao programa os laboratórios de informática onde são trabalhadas diferentes técnicas de espacialização de dados epidemiológicos e ambientais.

 

Com relação aos recursos de informática, no campus Riachuelo, onde ocorrem as aulas dos cursos de graduação e pós-graduação em Geografia, existia um laboratório de informática com 25 máquinas (desktop) de médio desempenho, onde estão instaladas licenças do software ArcGIS 10.6.1, adquiridas pela Unidade Acadêmica Especial de Estudos Geográficos (pacote educacional com 50 licenças individuais e habilitação de todas as extensões disponibilizadas pela plataforma) e outros softwares de Geoprocessamento e Estatística. Por pertencer ao curso de Medicina, este laboratório foi transferido para o Campus Jatobá e ainda não está em funcionamento por questões financeiras. Nele são ofertados cursos de capacitação e treinamento para os alunos do PPGGeo, além de disciplinas diversas que utilizam Sistemas de Informação Geográfica em suas atividades. De forma acessória, o espaço do Laboratório de Geoinformação também é utilizado para estas atividades quando as turmas são pequenas.

 

Na Cidade Universitária (Campus Jatobá) existe um espaço de estudos para estudantes de pós-graduação equipado com estações de trabalho e pontos de acesso à internet localizado na biblioteca central Flor do Cerrado, onde os alunos do PPGGeo podem utilizar o espaço de forma compartilhada com alunos de outros programas. Além destes laboratórios, as bibliotecas de ambos os campi possuem laboratórios de informática a disposição dos discentes e os laboratórios vinculados ao programa encontram-se equipados com computadores e acesso à internet.

 

Com relação às bibliotecas, os alunos do PPGGeo têm acesso ao sistema de bibliotecas da UFG (Sibi), que conta com mais de 360.000 exemplares entre livros, CD de música, CD-ROM, fitas em VHS e em DVD, teses e dissertações. Também oferece acervos virtuais, que podem ser acessados pelo site do Sibi/UFG, em www.bc.ufg.br. As bibliotecas da UFJ (Campi Riachuelo e Jatobá) possuem um acervo de aproximadamente 46.000 livros, sendo aproximadamente 1.500 obras do curso de Geografia (compartilhados entre Graduação e Pós-Graduação), mais de 2.500 livros de áreas afins, exemplares de periódicos em uma espaço físico de 500m2. O Sibi/UFG também é responsável pelo Portal de Periódicos da UFG, pela Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFG (BDTD/UFG) da instituição e pelo Repositório Institucional. Os três compõem o Portal da Informação, coordenado pela Gerência de Informação Digital e Inovação (GIDI). Com a emancipação, a UFJ deve criar no decorrer do ano de 2020 seu próprio sistema de bibliotecas, mas sem previsão de aumento do acervo considerando o corte de verbas das IES. A biblioteca da UFJ oferece cinco modalidades de treinamento objetivando proporcionar aos pós-graduandos, os conhecimentos necessários para a busca e uso dos recursos de informação disponíveis no Sibi/UFG e em meio eletrônico. O treinamento Portal de Periódicos Capes tem por objetivo habilitar os alunos e professores a utilizar melhor os recursos disponíveis para pesquisa no portal de periódicos eletrônicos da Capes. São apresentadas as ferramentas: metabusca, busca por base, busca por periódicos e meu espaço. O treinamento para normalização de trabalhos acadêmicos, tem por objetivo apresentar as principais normas relacionadas ao assunto (referências, citação, apresentações de trabalhos acadêmicos) e orientar sobre a formatação de trabalhos acadêmicos. Nas bibliotecas da UFG o aluno tem acesso ao portal de periódicos da CAPES e da UFG que é um projeto da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação que visa o desenvolvimento, a democratização ao acesso a pesquisa científica e s qualificação dos periódicos da UFG. O portal utiliza o sistema eletrônico de editoração de revistas (SEER).

 

As bibliotecas da UFJ são informatizadas com o sistema Sophia, que permite o controle dos acervos, desde a aquisição, processamento técnico até os serviços de circulação. Oferece aos usuários o acesso online ao catálogo e aos serviços de renovação e reserva. São ofertados treinamentos aos usuários visando a capacitação para uso do Portal de Periódicos da Capes, Fontes de Informação Online e aplicação das normas para trabalhos acadêmicos. Os acervos são compostos por materiais de diferentes suportes, dentre livros, CDs, DVDs, periódicos e acervos virtuais (Bases de dados, Biblioteca Digital de Teses e Dissertações, E-books, Normas ABNT para consulta, Periódicos UFG, Portal de Periódicos da CAPES, Repositório Institucional – implantado somente em Goiânia).

 

A UFJ possui duas bibliotecas que disponibilizam espaços adequados para estudo e pesquisa. A Biblioteca Binômino da Costa Lima – Campus Riachuelo, possui cerca de 500m² e oferece espaço coletivo para estudos e Laboratório de Informática. A Biblioteca Flor-do-Cerrado, localizada no Campus Jatobá, foi inaugurada em 02 de abril de 2018. Com dois pavimentos, a biblioteca oferece espaços adequados para estudo coletivo, individual, laboratório de informática, refeitório, espaço de descanso, sala de reuniões com capacidade para 20 pessoas e espaços destinados a realização de atividades e eventos culturais e acadêmicos. No total são oferecidos 122 assentos em mesas de estudo coletivo, 64 assentos em mesas de estudo individual, 24 computadores com acesso à Internet, além do acesso à rede de Internet sem fio (Eduroam) e 60 assentos para realização de atividades acadêmicas e culturais no espaço multiuso. Em outubro de 2019 foi inaugurado o Laboratório de Acessibilidade Informacional (LAI), que conta com equipamentos modernos para atender as demandas de usuários com deficiência. O LAI oferece o serviço de adaptação de materiais, empréstimo de equipamentos (como lupa digital, notebooks, gravadores, etc) e capacitação para uso das tecnologias disponíveis.

 

Além dos espaços listados nos itens Laboratório, recursos de informática e bibliotecas, o PPGGeo possui uma sala de coordenação alocada em um prédio exclusivo para os programas de pós-graduação no Campus Jatobá da UFG/Regional Jataí, com espaço de trabalho para o coordenador e para secretaria.